Serviços O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

processo seletivo 2019

defesa

 

Gestão de Empreendimentos Econômicos Solidários: a experiência das Incubadoras Tecnológicas de Economia Solidária

 

Thaís C. S. Oliveira

 

Resumo: Esta dissertação se baseia numa reflexão crítica sobre os estudos da Administração e busca, no contexto da Economia Popular e Solidária, especificamente pela prática das Incubadoras Tecnológicas de Economia Solidária (ITES) que assessoraram empreendimentos de catadores de materiais recicláveis, aportes para a gestão de empreendimentos econômicos solidários. Partiu-se da complexidade e especificidade da gestão desses empreendimentos e do pressuposto que as assessorias técnicas prestadas a essas experiências se baseiam, na maioria das vezes, na gestão empresarial tradicional e não incorporam mecanismos de autogestão. Diante disso, para buscar por novos conhecimentos que pudessem contribuir com a gestão de empreendimentos autogestionários, recorreu-se a análise da experiência de três incubadoras que atuam com empreendimentos de catadores de materiais recicláveis, por pelo menos 10 anos, e, dentre as metodologias, ferramentas e processos construídos com os grupos incubados, buscou-se extrair elementos que auxiliassem a pensar e construir uma gestão adequada aos princípios, especificidades e necessidades dos empreendimentos econômicos solidários. Os resultados apontados indicam que as ITES analisadas pautaram sua atuação numa educação para a autogestão, buscando a construção de hábitos, valores e condições que favorecem o desenvolvimento de uma organização democrática.  Apresentou-se ainda como um desafio às assessorias a conciliação entre as diversas racionalidades que permeiam a organização e a elaboração de soluções técnicas eficientes que contemplassem essa complexidade.

 

Data e horário: Dia 20 de agosto de 2018, as 14:00.

Local: Centro de Tecnologia da UFRJ, Bloco H, Auditório da H-322 (em frente a escada)

 

Banca:

Prof. Flávio Chedid Henriques, D.Sc (orientador)

Enga. Jacqueline Rutkowski, D.Sc

Prof. Michel Jean-Marie Thiollent, Ph.D.

Prof. Igor Vinicius Lima Valentim, D.Sc

Profa. Ioli Gewehr Wirth, D.Sc

defesa

 

E A MÁQUINA LIVRO VIROU NA MÁQUINA JOGO: Sistematização de uma experiência pedagógica baseada na obra literária Macunaíma, de Mário de Andrade

 

Thiago Camargo de Albuquerque

 

Resumo: O Grupo de Educação Multimídia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (GEM/UFRJ) promoveu duas edições de um curso piloto que tiveram como proposta a tradução da obra Macunaíma, de Mário de Andrade, em jogos analógicos. Estes cursos se realizaram no Instituto Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro – campus Nilópolis e no laboratório do GEM, na Faculdade de Letras/UFRJ. Com base em tal experiência, esta dissertação buscou oferecer dados que possibilitassem a análise de limites e possibilidades da realização de oficinas de transposição de linguagens entre literatura e jogos analógicos no âmbito do Projeto Travessias: Palavra-Imagem, que é operacionalizado pelo GEM há dez anos. Tratou-se, portanto, de uma sistematização de um conjunto de experiências (HOLLIDAY, 2006) relativas ao curso, desde a sua formulação até a avaliação final por seus participantes. A formulação do curso e, por consequência, esta dissertação possibilitaram a conexão de áreas do conhecimento aparentemente distantes entre si, como a educação, a literatura, a ludologia e a tradução. Pautado no trabalho como princípio educativo (SAVIANI, 1989), o curso organizou os participantes em torno de uma atividade de tradução intersemiótica (PLAZA, 2003) que consistiu numa interpretação coletiva da rapsódia marioandradina (ANDRADE, 1984) pelo aporte de materiais críticos a referida obra (SOUZA, 1979) (PROENÇA, 1987) a fim de desenvolver  jogos de tabuleiro análogos ao material estudado. Deste modo, a experiência essencial proporcionada pelo jogo (SCHELL, 2008) e suas narrativas emergentes (SALEN e ZIMMERMAN, 2012) buscaram referenciar a obra original, fazendo uso principalmente de suas mecânicas. A sistematização apresentou dados e apontamentos para o aprimoramento de atividades semelhantes em futuras ações do Projeto Travessias, bem como possibilidades de apropriações destes materiais a profissionais da educação interessados em promover atividades pautadas em princípios da interdisciplinaridade, do sociointeracionismo ou da politecnia.

 

Data e horário: 23 de julho de 2018, 16:00

Local: Centro de Tecnologia da UFRJ, Bloco H, Auditório da H-322 (em frente a escada)

 

Banca:

- Profª Drª Eleonora Ziller Camenietzki (orientadora) – PPGTDS/UFRJ (por videoconferência)

- Profª. Drª. Priscila Matsunaga – PPGTDS/UFRJ

- Prof Dr. Paulo Maia – PPGTDS/UFRJ

- Prof. Dr. Guilherme Xavier – PUC–Rio

- Profª. Drª. Eliane Bettocchi – UFJF (por videoconferência)

 

defesa

 

Caminhos Dialógicos: A gestão democrática e participativa como experiência política e prática pedagógica em uma escola

 

Camilla Ribeiro

 

Resumo: A presente dissertação é resultado do projeto de pesquisa desenvolvido no Mestrado Profissional em Tecnologia para o Desenvolvimento Social (MPTDS) vinculado à linha de pesquisa “Gestão Participativa” do Núcleo Interdisciplinar para Desenvolvimento Social – NIDES. A pesquisa foi realizada em uma escola de educação infantil, situada no bairro da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro. Analisar a prática da gestão participativa identificando os efeitos do processo dialógico adotado como norteador da gestão de uma escola de educação infantil. De maneira mais específica, proponho apurar e analisar seus efeitos sobre os Educadores, de forma individual e coletiva, no que tange ao processo pedagógico, à gestão administrativa e às relações interpessoais. A metodologia adotada tem como diretriz a pesquisa participante com inspirações da pesquisa-acão. Busca, a partir do diálogo com os trabalhadores da escola, os Educadores, as potencialidades e dificuldades na implementação de uma gestão democrática do trabalho entre os adultos e seus efeitos sobre o fazer pedagógico. A presente dissertação é resultado do projeto de pesquisa desenvolvido no Mestrado Profissional em Tecnologia para o Desenvolvimento Social (MPTDS) vinculado à linha de pesquisa “Gestão Participativa” do Núcleo Interdisciplinar para Desenvolvimento Social – NIDES. A pesquisa foi realizada em uma escola de educação infantil, situada no bairro da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro. Analisar a prática da gestão participativa identificando os efeitos do processo dialógico adotado como norteador da gestão de uma escola de educação infantil. De maneira mais específica, proponho apurar e analisar seus efeitos sobre os Educadores, de forma individual e coletiva, no que tange ao processo pedagógico, à gestão administrativa e às relações interpessoais. A metodologia adotada tem como diretriz a pesquisa participante com inspirações da pesquisa-acão. Busca, a partir do diálogo com os trabalhadores da escola, os Educadores, as potencialidades e dificuldades na implementação de uma gestão democrática do trabalho entre os adultos e seus efeitos sobre o fazer pedagógico.

 

Data e horário: Dia 10 de agosto de 2018 as 13h30.

Local: Centro de Tecnologia da UFRJ, Bloco H, Auditório da H-322 (em frente a escada)

 

Banca:

- Prof. Dr. Michel Thiollent (Orientador) - PPGTDS/NIDES/UFRJ

- Prof. Dr. Flávio Chedid - PPGTDS/NIDES/UFRJ

- Profª Drª  Madalena Colette - UNIGRANRIO

- Profª Drª Eugenia Motta - IESP/UERJ

qualificacao

 

Conselho Consultivo da Área de Proteção Ambiental (APA) de Cairuçu: um olhar sobre a gestão participativa

Paula Callegario de Souza

 

Este trabalho tem por objetivo analisar oportunidades e desafios da participação em conselhos gestores de áreas protegidas para promoção do desenvolvimento sustentável e fomento à justiça socioambiental, utilizando como estudo de caso o Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental (APA) de Cairuçu – CONAPA Cairuçu. Para essa avaliação a experiência de gestão participativa do conselho, os dados obtidos por meio de revisão de literatura, legislação e documentos produzidos no âmbito do CONAPA, observação participante e entrevistas semiestruturadas, foram sistematizados e alicerçados na Teoria Fundamentada (Flick, 2009). A Área de Proteção Ambiental de Cairuçu foi criada no início da década de 1980 e abrange a metade do município de Paraty, estado do Rio de Janeiro. A área protegida tem por objetivo assegurar a proteção da Mata Atlântica (um bioma altamente ameaçado que abriga espécies endêmicas e raras) e das comunidades caiçaras integradas a esse ecossistema”(BRASIL, 1983). Porém o território abrangido pela APA é objeto de disputas oriundas de múltiplos interesses que mesclam grandes empreendimentos (especulação imobiliária, estruturas de turismo náutico) e o modo de vida de diferentes comunidades tradicionais que residem no município. Na análise preliminar de atas e documentos produzidos pelo conselho pude observar conflitos, desconfiança e falta de conhecimento do motivo da unidade ter sido criada e também da formulação do Plano de manejo (2005). Percebi também a atuação do conselho restrita a gestão consultiva, com poucas oportunidades de uma gestão participativa. A gestão participativa no conselho da APA de Cairuçu, passou a avançar nos dois últimos anos, com a revisão do plano de manejo e a reestruturação deste conselho.

 

Palavras-chaves: participação, áreas protegidas, conselho gestor, justiça socioambiental.

 

Data/horário: 12 de julho as 14h

Local: Sala ABC 112, Centro de Tecnologia, UFRJ.

 

Banca:

Profº Drº Sidney Lianza (orientador) – NIDES/UFRJ

Profª Drª Paula Chamy Pereira da Costa (orientadora) – NEPAM/UNICAMP

Profº Drº Felipe Addor – NIDES/UFRJ

Profº Drº Antonio Claudio Gomez Souza – NIDES/UFRJ

Profª Drª Vera Maciel – UNESA

 

Suplência Externa:

Drª Fatima Karine Pinto - FIPERJ

 

            100 anos ufrj                                     logo e sic

UFRJ NIDES - Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social
Desenvolvido por: TIC/UFRJ