Serviços O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

qualificacao

 

Análise da Tecnologia de gestão para implementação e aplicação da Lei 10.639/2003 no curso de licenciatura em Educação Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Priscila Rodrigues de Almeida Bourguignon

 

Esta pesquisa tem como objetivo analisar, através da tecnologia de gestão, como o curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, que é considerado centro de ensino por excelência, implementou nos seus pilares pesquisa, ensino e extensão, a Lei Federal 10.639/2003 que rege sobre o currículo do sistema educacional brasileiro. Além disso, como o curso diploma graduandos e pós-graduando para atuarem na educação básica, pois compreende-se que a Educação Física e a escola estão aproximados de um projeto societário hegemônico, eurocêntrico e ainda possibilita estar articulado as propostas pedagógicas de caráter tecnicista, esportivista. Essa pesquisa torna-se relevante por estarmos em um ano emblemático, em que se comemora 130 anos da abolição e 15 anos que essa lei reparadora está em vigor.  Na metodologia será um estudo de caso (YIN, 2005) qualitativo, com abordagem exploratória com a finalidade de proporcionar à investigação de fenômenos contemporâneos, dentro de um contexto de relações de poder e disputas políticas por narrativas. Delimita-se a pesquisa a um único caso que será o curso de licencia em Educação Física da UFRJ dentro de um recorte temporal, entre os anos 2000 e 2013. Haverá uma triangulação entre dois métodos intitulados por Yin (2005) de descritivo-histórica e análise. Para a coleta de dados, realizaremos entrevistas presenciais e individuais através de roteiro de informante-chave com professores, chefes de departamento e coordenadores de curso. Além disso, teremos um levantamento documental dessa instituição como: Projeto Político Pedagógico (PPP), currículos e regimento da instituição. Para análise e interpretação de dados, aplicaremos as prescrições da Lei Nº 10.639/2003; o (Parecer CNE/CP Nº 003/2004 e a Resolução CNE/CP Nº 01/2004 e sobre a formação de professores de Educação Física (Parecer CNE/CES Nº 0058/2004 e a Resolução CNE/ CES Nº 07/2004).

 

Palavras-chave: tecnologia de gestão; formação docente em Educação Física; relações raciais; currículo; políticas públicas educacionai.

 

Data/horário: 12 de julho as 10h

Local: Sala ABC112 (Próximo ao Banco Itaú e ao Restaurante Universitário), Centro de Tecnologia, UFRJ.

 

Banca:

Prof. Dr. Sidney Lianza (orientador) NIDES/UFRJ 

Prof. Dr. Paulo Peres (orientador) EEFD/UFRJ 

Prof. Dr. Paulo Cezar Maia NIDES/UFRJ 

Prof. Dr. Antônio Cláudio Gómez de Sousa  NIDES/UFRJ 

Prof.ª Dr.ª Michele Pereira de Souza da Fonseca EEFD/UFRJ

defesa

 

SISTEMATIZAÇÃO CRÍTICA DA PRÁXIS DA PAPESCA ENTRE 2012 E 2018 NO CANTO DE ITAIPU SOB A PERSPECTIVA DAS RELAÇÕES DE PODER

 

Davi Henrique X. B. C. Rodrigues (contato: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.)

 

Resumo: Desde novembro de 2012, o Programa de Pesquisa-Ação na Cadeia Produtiva da Pesca Artesanal (PAPESCA), programa de extensão da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem contribuído para o empoderamento de pescadores artesanais, bem como da população tradicional e não tradicional que se reproduz socialmente no território do Canto de Itaipu, Niterói. Nesta dissertação, adotando referenciais teórico-metodológicos da sistematização crítica, da pesquisa qualitativa e da dialogicidade, buscamos compreender a práxis da PAPESCA desde a sua chegada ao Canto de Itaipu até o ano de 2018, tomando como preocupação as relações de poder que emanaram desta inserção. Em um contexto marcado por relações intracomunitárias fortes, pela existência de um considerável número de parcerias com organizações externas e pela inserção de uma reserva extrativista marinha, a PAPESCA conseguiu construir laços de confiança que lhe permitiram propor, negociar e executar um conjunto de atividades educativas. Deste processo, avaliamos que se iniciou a formação de um coletivo que foi capaz de enfrentar, por curto espaço de tempo, as relações de poder estabelecidas localmente no território. Este processo chama a atenção pela sua intensidade e comprometimento dos participantes que se encontravam semanalmente para discutir o andamento das atividades. Olhando para dentro, notamos que a PAPESCA manteve sua história de fortalecer a participação e a autonomia estudantil através de uma práxis que efetivamente integra ensino, pesquisa e extensão. Os estudantes de graduação e pós-graduação que passaram pela PAPESCA demonstraram protagonismo em diversas ações que foram, como dito, negociadas com os atores locais do Canto de Itaipu. Ademais, no campo científica, a PAPESCA reforça uma posição contra hegemônica na produção de conhecimento e no ensino da engenharia, que adota como princípios solidariedade, alteridade, cidadania, transparência, do respeito à diversidade cultural e ao meio ambiente e tem como pressuposto uma visão crítica da ciência e da tecnologia.

 

Data e horário: 09 de julho de 2018, 14:00

Local: Sala 208, Bloco C, Centro de Tecnologia

 

Banca:

- Prof. Dr. Sidney Lianza (Orientador – NIDES/UFRJ)

- Prof.ª Dr.ª Vera de Fátima Maciel Lopes (UNESA)

- Prof.ª Dr.ª Marcia Ferreira Mendes Rosa (SEE/RJ)

- Prof. Dr. Ricardo Ferreira de Mello (NIDES/UFRJ)

- Dr. Marcelo Andrade Amorim (PPE-COPPE/UFRJ) - Suplente

- Prof. Dr. Celso Alexandre Souza de Alvear (NIDES/UFRJ) - Suplente

Defesas mestrado PPGTDS 2018

 

“CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO POPULAR E DA PESQUISA AÇÃO À ADEQUAÇÃO SOCIOTÉCNICA: Estudo de caso de um curso de extensão”

Nelson Andrés Ravelo Franco

Nesta dissertação estudam-se as contribuições da experiência do curso de extensão “Formação crítica em sistemas técnicos de energia – Introdução”, realizado em parceria entre o Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, para identificar como as metodologias da Pesquisa Ação e da Educação Popular podem operacionalizar uma proposta de Adequação SocioTécnica. Fez-se escolha deste caso por seu caráter único, porquanto além de trabalhar desde uma perspectiva crítica da tecnologia, foi orientado por essas duas propostas metodológicas. Para identificar essas contribuições, foi usada a metodologia de Estudo de Caso, fazendo inicialmente uma revisão do referencial teórico, incluindo tanto aquele metodológico do curso como aquele mais conceitual no qual enquadra-se a proposta da AST. Posteriormente, através do método de pesquisa qualitativa de comparação constante além de encontrar contribuições específicas para futuras ações em parceria com o MST (reconhecendo sua proposta e sua organicidade) ou com a técnica do desenho de sistemas de geração fotovoltaica (identificando possíveis adequações), destacaram-se como as orientações metodológicas da PA e da EP permitiram construir espaços de participação que fossem ao mesmo tempo de pesquisa, educativos e de tomada de decisões, permitindo tanto a conscientização quanto a mobilização dos participantes em relação a essa visão crítica da técnica (extensionistas e assentados). Porém, também identificaram-se limitações tanto de parte do acompanhamento do MST, como produto da inexperiência e da inadequação cognitiva dos extensionistas, ou da participação dos assentados. Desta forma a dissertação apresenta esse caso buscando desafiar a futuras experiências para superar essas limitações e reconhecer as novas.

 

Data/Horário: 18/06/2018 – 14:00

Local: Centro de Tecnologia da UFRJ, sala a definir

 

Banca:

Walter Issamu Suemitsu (orientador) – NIDES/UFRJ

Luís Guilherme Barbosa Rolim (coorientador) – NIDES/UFRJ

Prof. Dr. Felipe Addor - NIDES/UFRJ

Prof. Dr. Claudio Moises Ribeiro - UFES

Prof. Dr. Renato Peixoto Dagnino - Unicamp (por videoconferência)

 

 

Defesas mestrado PPGTDS 2018

 

O ENSINO DO ESPORTE E A RACIONALIDADE TÉCNICA NA CONTEMPORANEIDADE: POSSIBILIDADES E LIMITES

Tiago Quaresma Costa

O presente trabalho de pesquisa teve como principal questão de investigação a racionalidade técnica e sua forma de manifestação no esporte. Para isso, partimos da questão da técnica como aspecto que assume uma potente presença nas sociedades capitalistas, sobretudo, nas formas como se dá a produção. Considerando que as sociedades capitalistas possuem um tipo de racionalidade própria que demarca as formas como as sociabilidades humanas se dão e que essa racionalidade tende a se espalhar pela sociedade, compreendemos que produz e sofre, ao mesmo tempo, as influências desta racionalidade, absorvendo traços característicos dela. A racionalidade técnica tende, assim, a proliferar-se de tal forma que gera uma sociedade unidimensional cujo produto desta sociedade é o próprio homem de características unidimensionais. Os elementos da cultura, como é o caso do esporte e da educação, podem sofrer a influência desta unidimensionalidade, resultando em uma formação unilateral. Desta forma, pretendeu-se nesse trabalho captar as expressões desta unidimensionalidade em alunos dos anos finais do ensino fundamental, buscando entender, assim, como se manifesta o pensamento unidimensional-positivo em relação ao esporte. Como contraponto a essas expressões, foi utilizada uma Matriz Metodológica Crítica, de corte crítico-dialético, em 10 aulas, após as quais tentamos captar a expressão da tensão entre as concepções de mundo unidimensional-positiva e dialético-negativa por meio da perspectiva de esporte de alunos do 2° segmento do ensino fundamental.
 
Palavras-chave: Racionalidade Técnica, Técnica e Esporte.
 
DATA: 19/06/2018 HORÁRIO: 15:00 hrs
LOCAL: Sala H-227 – Centro de Tecnologia (CT) – Universidade Federal do Rio de Janeiro.
 
BANCA EXAMINADORA:
Orientador: Prof. Dr. André Malina - UFRJ/PPGTDS
Prof. Dr. Ângela Celeste Barreto de Azevedo - UFRJ/PPGTDS
Prof. Dr. - Silvio de Cássio Costa Telles - UERJ/PPGCE
Prof. Dr. - Efrain Maciel e Silva UFG
Suplentes: Prof. Dr. Antonio Cláudio Gomez Sousa - UFRJ/PPGTDS
Suplentes: Prof. Dr. Carla Geovana Fonseca da Silva de Castro - SECTI/ES
 
 
Convite de Defesa de Mestrado Tiago

 

 

Rio de Janeiro, 8 de março de 2018.

 

Recepção dos alunos Nides 2018 em 08/03 no Centro de Tecnologia, auditório H208.

 

WhatsApp Image 2018 03 08 at 12.06.47

 

  WhatsApp Image 2018 03 08 at 12.06.28

            100 anos ufrj                                     logo e sic

UFRJ NIDES - Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social
Desenvolvido por: TIC/UFRJ