Serviços O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

PremioESOCITEO ex-aluno Nelson Ravelo Franco, da primeira turma do mestrado em Tecnologia para o Desenvolvimento Social do NIDES, teve sua dissertação selecionada à menção honrosa do Concurso ESOCITE.BR de Dissertações e Teses no biênio 2017-2019.

Além disso, o doutor Luiz Arthur Silva de Faria, pesquisador do Laboratório de Informática e Sociedade (LabIS), vinculado ao NIDES, também teve sua tese de doutorado selecionada à menção honrosa.

Foram submetidos 43 trabalhos (20 dissertações e 23 teses) que foram avaliados por um conjunto de 53 docentes com inserção na área de estudos CTS e membros da comunidade ESOCITE.BR. Cada trabalho foi avaliado por no mínimo dois avaliadores.

A cerimônia de premiação ocorrerá no dia 17 de agosto de 2019, as 18:30 no CEFET-MG (http://www.esocite8.cefetmg.br/wp-content/uploads/sites/200/2019/08/ESOCITE.BR-folder7312.pdf).

 

Fonte: http://www.esocite.org.br/noticias/

Logo PPGTDS nides

 

Já está publicado o edital de seleção para o mestrado em Tecnologia para o Desenvolvimento Social.

 

Publicação original: http://nides.ufrj.br/index.php/selecao-ppgtds

 

 

defesa

 

Autonomia e Visibilidade: A estratégia organizativa das “Coletivas Lésbicas Autônomas” na construção da política de visibilidade no Rio de Janeiro

 

Karen Daile Barba Acosta

 

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo identificar as estratégias realizadas pelas Coletivas Lésbicas Autônomas para a construção da política de Visibilidade Lésbicas na cidade de Rio de Janeiro. Procurou a compreensão dos diálogos das Coletivas Autônomas com a Institucionalidade, ao mesmo tempo em que dá realce a esse processo. Entendeu-se a proposta de Lei como um dispositivo simbólico para a enunciação de um novo sujeito, neste caso, a Mulher Lésbica Negra. Está construído desde uma perspectiva histórico-estruturalista com a intenção de fotografar os episódios contemporâneos mais representativos, concentrados em três eixos centrais como são: o período de redemocratização do Brasil, a crises do HIV e as jornadas de Junho de 2013.
Os âmbitos examinados são: experiência, pensamento e ações; proposta analítica do feminismo interseccional, que brinda um valor especial à convivência cotidiana, recolhidos a partir de entrevistas com as militantes atuantes neste processo. Para finalizar, se produz uma conceitualização de autonomia a partir da experiência da construção da proposta de Lei que conjugam vários fluxos de pensamento como: teoria política, identidade e interseccionalidade. Como consequencia dessa análise, culmino na caracterização do que tenho chamado de Lesbianegrizar o Poder como aprendizado coletivo.

 

Data e horário: 01 de Julho de 2019, 13:00

Local: CCMN - Auditório MOT do NCE

 

Banca:

- Prof. Dr. Celso S. de Alvear (Orientador - NIDES/UFRJ)

- Prof. Dr. Felipe Addor (Diretor Geral – NIDES/UFRJ)

- Profª Dr.ª Diana Helene Ramos (UNIGRANRIO)

- Profª Dr.ª Daniele Cordeiro Motta UNICAMP/ SP (por videoconferência)

 

defesa

 

UMA ANÁLISE DO ACESSO À APOSENTADORIA DO AGRICULTOR FAMILIAR NO TERRITÓRIO DE GUAPIMIRIM - RJ

 

Maria Mercedes Barreto

 

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo analisar o fenômeno do acesso aos direitos previdenciários dos agricultores familiares, tendo como caso uma experiência de famílias da região de Guapimirim. Inicialmente, foi realizada uma revisão bibliográfica buscando abranger o tema da aposentadoria do agricultor familiar, refletindo sobre a importância de instituições representativas, do acesso à justiça e da implementação de políticas públicas. A partir de uma base metodológica participativa, foram realizados estudos etnográficos, visitas a campo e entrevistas individuais e coletivas que permitiram fazer um diagnóstico mais próximo da realidade, compreendendo as dificuldades de acesso à aposentadoria dos trabalhadores rurais de Guapimirim. Foi realizado um estudo de caso que contribuiu para a compreensão do que temos de fenômenos individuais, organizacionais, sociais e políticos. Nesta dissertação, são descritas algumas trajetórias de família que vivem a realidade da agricultura familiar, retratando como esses trabalhadores desempenham as atividades de forma autônoma, inseridos na economia familiar. Para fins de questões previdenciárias, ou seja, direito à aposentadoria, esses trabalhadores são identificados como segurado especial, o que representa um benefício, mas também apresenta exigências burocráticas que resultam em grande dificuldade para que consigam êxito em seus processos de aposentadoria. Este trabalho, portanto, serviu para entender melhor essa realidade e apontar as demandas e possibilidades de contribuição da universidade para o acesso à aposentadoria pelos agricultores familiares.

 

Data e horário: 09/07/2019 - Horário: 10hrs

Local: Centro de Tecnologia, Sala: H-322

 

Banca:

- FELIPE ADDOR - Dsc UFR

- ANTONIO CLAUDIO GOMES DE SOUZA - Dsc COPPE/UFRJ

- FERNANDA MARIA DA COSTA VIEIRA - Dsc CPDA/UFRRJ

- HELOISA TEIXEIRA FIRMO - Dsc COPPE/UFRJ

 

 

Dia 24/05 - sexta-feira

Hora: 15h

Local: sala ABC 112 – Soltec

 

MESTRANDA NÚBIA MARIA GONZAGA DA SILVA
ORIENTADORES Sidney Lianza (UFRJ)
Henrique Pereira (UFAM)
TEMA Pesca manejada do pirarucu: Tecnologia social e política pública para o desenvolvimento socioambiental na Amazônia
BANCA NOME INSTITUIÇÂO
Felipe Addor UFRJ
Ricardo Melo UFRJ
Flávio Chedid UFRJ
Vera Maciel Estácio de Sá

 

 

QualificacaoNubia

            100 anos ufrj                                     logo e sic

UFRJ NIDES - Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social
Desenvolvido por: TIC/UFRJ